A influência dos terreiros de Matriz Africana nas comunidades

07/08/2013 19:00

 

Pai Marley Luiz D' Guian

Babalorixá da TEPRA

Acadêmico de Direito

 

            A história mostra e conta de que forma as religiões influenciaram e determinaram o rumo da vida das pessoas, do cotidiano, da política, da cultura, da sociedade em geral e do mundo durante os séculos. A presença das religiões pelo mundo e suas interferências foram - e são - tão grandes que mudaram a forma das pessoas pensar, agir, trabalhar, estudar, se socializar. Guerras, discriminação, preconceito, separação de países, foram algumas das formas de demonstração do poder da religião. O alcance da religião também é presenciado de forma positiva, como em ações sociais, culturais, artísticas, literárias, econômicas e espirituais.

Em pleno séc. XXI isso não é diferente, podemos notar tal intervenção da religião em nossas próprias atitudes, como não comer carne vermelha na Sexta Feira Santa (Catolicismo), descansar aos sábados (Igreja Adventista), pular sete ondas (Umbanda), ou vestir-se de branco na virada do ano (Almas & Angola) são apenas alguns dos costumes que muitos adotam devido à religião.

                Entretanto, neste artigo abordaremos a influência dos terreiros e casas de matriz afro-brasileira em seus respectivos bairros e comunidades.

                Atualmente vemos uma crescente abertura de terreiros em bairros diversos e com isso a chegada de novos médiuns, simpatizantes e consulentes. Primeiramente, um terreiro torna-se ponto de referência para aquele bairro, e por tal deve-se atentar sempre que como referência, a casa torna-se um exemplo, e como exemplo deve ser um dos melhores para o próximo.

No inicio, se estabelecer pode ser difícil, dependendo do local e principalmente dos moradores que podem aceitar ou não, a religião, os cânticos e toques dos tambores e toda a movimentação entorno do local. Todavia, este é um fato de fácil solução, quando a casa mediúnica, que foi instalada na comunidade, respeita as pessoas e o modo de vida que ali já havia, deste modo, o respeito e a consideração serão mútuos. Além disso, o bom convívio social arrebata muitas pessoas precisando de orientação espiritual ou de uma simples conversa e/ou conselho.

                Logo, podemos ver um desenvolvimento no bairro, graças aos terreiros ali instalados, por menor que seja, esse crescimento, dá-se através do aumento nas atividades do comercio da região (principalmente em dias de festas, homenagens e feituras), nas necessidades de locomoção, saneamento e conservação do local, além de moradia para o Zelador e médiuns que desejam morar próximo. Esse incremento à sociedade depende muito, também, da vontade e das ações comunitárias do Zelador e seus médiuns. Quando esta corrente se junta ao bairro para melhorá-lo, toda a comunidade se desenvolve, estas atitudes podem ser da limpeza e conservação do local, ou até mesmo uma solução política em que o apoio dos terreiros é fundamental.

                As ações sociais e comunitárias devem ser sempre uma bandeira hasteada de todos os terreiros, tendas, casas e barracões, independente do segmento – Almas & Angola, Umbanda ou Candomblé –, pois nas religiões de Matriz Afro-Brasileira o que se busca e se ensina é a evolução, e essa se estabelece através da caridade. Neste ponto, podemos observar que a ações sociais estão cada vez mais frenquentes nas casas de santo, principalmente de Almas & Angola, que começam pela simples atitude de convidar, não somente seguidores da religião, bem como moradores vizinhos, ou a qualquer pessoa interessada a participar das festas e homenagens, ou seja, dividir seu alimento e sua bebida, que pode ser de um simples pedaço de bolo com refrigerante até um banquete.

                Porém, não há influencia maior e mais positiva do que as que vêm sendo desenvolvidas por diversos terreiros. Em conjunto ou separadamente, as famílias de santo iniciam campanhas sociais, como a arrecadação de alimentos, brinquedos e roupas destinadas às comunidades e ONGs carentes. Essas ações são fundamentais, pois o benefício não é apenas da parte agraciada com os pertences, mas também de quem age, pois além da realização pessoal de se solidarizar com o próximo, há também a simpatia da população que percebe que as religiões de matriz afro-brasileira possuem um papel social vital para o bairro em si e para toda a cidade, afinal essas ações ultrapassam as fronteiras do local onde fica o terreiro.

                Outro modo de intervenção e influência religiosa são as recentes ações políticas e jurídicas em prol do bem comum da religião, com ênfase na cultura e no culto afro que é, ainda, muito estigmatizado, condenado. Vários “filhos de Orixás” usam de seu conhecimento e de seu prestigio pra entrelaçar relações na política a favor da religião, o que é muito positivo, não apenas para garantir nossos benefícios, mas também para defender nossos direitos.

                Não podemos deixar de frisar sobre a importância da influência religiosa no que diz respeito à espiritualidade. Muitas pessoas procuram casas de santo em busca de orientação, encaminhamentos, consultas, previsões, força, saúde e conforto para seus problemas, além é claro, daqueles que desejam seguir a vida espírita com os Orixás. E neste rumo muitos crescem e evoluem tanto pessoalmente, quanto espiritualmente. E nesta ultima meta cada um é autor do seu próprio caminho. Como diz Exu: “Eu lhe mostro o caminho, mas não posso andar por você.”
Sua benção, seu axé, meus respeitos.